Rapel
 

Setores do Rapel   |   O que é Rapel

Setores do Rapel

Setores do Rapel - O Rapel divide-se basicamente em três setores, Rapel Turismo, Rapel Competitivo e o Rapel Profissionalizante, cada um desses setores possui diferentes seguimentos atuando em conjunto formando os setores; Assim, resultando para empresas e profissionais, diferentes mercados para atuação.

  

  Rapel Turismo

No setor do Rapel Turismo estão empresas e/ou profissionais autônomos que oferecem a prática de Rapel para terceiros, ou seja, para o publico em geral, isso através de eventos ou prática individual. O Rapel se enquadra junto de vários outros esportes no Turismo de Aventura (T.A.), um mercado que está em constante crescimento no brasil.

 

 Rapel e o T.A.

O Rapel o segundo esporte de montanhas mais praticado no Brasil, perdendo apenas para o trekking de montanhas, uns dos principais fatores que levou o Rapel a esse patamar, é pelo fato do Rapel ser um esporte de lazer para o publico em geral, ou seja, não é somente Rapeleiros treinados que podem praticar o Rapel, também pessoas leigas no assunto que nunca praticaram Rapel, podem fazer o Rapel de imediato e naturalmente, desde que esteja acompanhada por um instrutor experiente, devido a isso, o Rapel veio se popularizando vertiginosamente nos últimos anos.

O Rapel se tornou uma opção de lazer, pois, há alguns fatores que o favorecem: O Rapel é um esporte radical de muita adrenalina e ao mesmo tempo um esporte muito seguro, e ainda, não requer do praticante um prepara físico, por não fazer esforço físico durante a prática do Rapel; Outros fatores, é por ser um esporte que proporciona o contato com a natureza e montanhas, praticado ao ar livre, que normalmente está associado a um piquenique ou a um trekking na montanha. Todo esse conjunto de fatores torna o Rapel um esporte muito recreativo.
Aproveitando esse mercado, existem diversas empresas de ecoturismo, grupos desportistas, e profissionais freelance que comercializam o esporte Rapel para terceiros popularizando ainda mais o Rapel no Brasil, criando um novo perfil de praticantes de Rapel, os Rapeleiros casuais, esses que praticam esporte de vez em quando, que logo se torna um hobby.


 Seguimento Rapel profissionalizante no T.A.
Devido o crescente mercado do Rapel ecoturismo no Brasil, em especial nos estados montanhosos, Instrutor de Rapel se tornou uma profissão lucrativa, seja trabalhando como freelance ou agregado a uma empresa de ecoturismo. Com isso, Instrutor de Rapel se tornou uma profissão muito lucrativa, com esse mercado de Rapel ecoturismo que vem crescendo vertiginosamente a cada ano. 
Para se tornar um instrutor de Rapel é necessário fazer um curso de “Instrutor de Rapel”, para ter a qualificação técnica para oferecer Rapel para terceiros; Até mesmo porque, o Rapel é uma atividade e alto risco, qualquer que seja a modalidade a ser praticada, exige um devido treinamento e preparo do Rapeleiro, o risco de acidente é eminente, o pode levar desde uma lesão seria até mesmo a morte. É rigorosamente recomendado que não pratique Rapel sem a presença de um instrutor qualificado e preparado para sanar qualquer situação de risco que o Rapel possa o expor. Rapel só é seguro desde que praticado com a segurança adequada.

  

Rapel Competitivo

No setor do Rapel Competitivo então atletas Rapeleiros que praticam o esporte Rapel por competição, com modalidades e campeonatos regidos pela Confederação Brasileira de Rapel (CBR), neste setor do Rapel Competitivo, formando diversos seguimentos de atuação para profissionais e também para empresas, inclusive de outros setores do Rapel.

  

Relação do Rapel Competitivo e outros setores do Rapel

O setor Rapel Competitivo complementa os dois setores Rapel Turismo e o Rapel Profissionalizante, absolvendo a demanda de atletas, representação publicitaria das empresas e a agenciamento da imagem individual do profissional de alguns seguimentos tanto do Rapel Turismo quanto do Rapel Profissionalizante.

   

Rapel Profissionalizante

Enquadram-se no setor do Rapel profissionalizante empresas e/ou profissionais autônomos que utilizam a técnica de descensão e ascensão do Rapel para execuções de serviços em aturas, aplicados em diversas áreas, tais como, indústria, Construção Civil, Bombeiros Civil, Rapel Turismo e etc.

  

Seguimento do Rapel profissionalizante
Para atender esse mercado os profissionais do Rapel, precisam ter uma qualificação adequada, onde entra o seguimento de cursos de profissionalizantes para cada setor com sua atividade especifica. Existem entidades especificas de cada setor, Rapel Turismo, Competitivo e o Profissionalizante que fornece cursos homologados específicos respectivo para cada seguimento de atuação do Rapel no Brasil. Esses cursos homologados são mencionados por empresas/instituições de ensinos com a proposta de capacitar o profissional para atuar no mercado.

  

Perfil dos Praticantes de Rapel

Há quatro perfis de praticantes de Rapel o Praticante casual; Por esporte; Como profissão remunerada e o Desportista profissional competitivo:

Praticante Casual – Esses que praticam o Rapel uma vez ou outra, a convite de instrutores, amigos ou em um evento esportivo de Rapel para terceiros.

Por Esporte – Os que praticam como um hobby, esses tem o Rapel como um lazer, estão sempre praticando o Rapel em suas horas vaga.

Profissão Remunerada – São profissionais instrutores de Rapel que oferecem o Rapel para terceiros como prática de lazer, ou também profissionais que utilizam o Rapel para execuções de serviços em aturas.

Desportista Competitivo – São Rapeleiros desportista profissional competitivo que praticam o esporte para competir, concorrer prêmios e conquistar recordes.

 

 


IDR - Instituto de Desenvolvimento do Rapel - Copyright © IDR
Desenvolvido por H12